CredRisk Seguros

As dificuldades competitivas da indústria de eletroeletrônicos motivam investimentos na gestão de risco de crédito

As dificuldades competitivas da indústria de eletroeletrônicos motivam investimentos na gestão de risco de crédito

O ano de 2022 deixou algumas sequelas para a economia mundial e, claro, a indústria de eletroeletrônicos no Brasil acabou sendo uma das mais afetadas e prejudicadas nesse momento, em especial, por conta da escassez de insumos e de outros fatores.

Para se ter uma ideia, considerando a alta da inflação do período, o setor apresentou uma queda de 2% em relação ao faturamento de 2021, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

E paralelo a isso, esse cenário de incertezas e turbulências aumenta a procura por investimentos na gestão de risco de crédito por parte das empresas do setor.

Para saber um pouco mais sobre o tema e entender melhor a importância dessa estratégia nesse momento, nós trouxemos algumas informações valiosas a seguir. Boa leitura!

 

2022: o ano da dificuldade competitiva para a indústria de eletroeletrônicos

Como bem destacado, 2022 não foi um dos melhores anos para o faturamento da indústria de eletroeletrônicos no Brasil. Os efeitos deixados pela recente pandemia de Covid, somados ao aumento da inflação, o início de uma guerra na Europa e a falta de insumos estratégicos, com destaque para os semicondutores, são alguns dos fatores que mais influenciaram esse cenário atual.

Outro ponto que ajuda a explicar essa significativa queda nas vendas e faturamento no período, é que em 2020 e 2021, ainda por conta da pandemia, houve um pico histórico na procura de smartphones, tablets e notebooks fomentado pelo crescimento do trabalho home office e o isolamento social.

Com a normalização da rotina, naturalmente esse consumo diminuiu em 2022 e, como esperado, deixou muitos fabricantes e lojas do varejo com estoques parados.

 

Quais são os riscos desse cenário?

Ainda que a indústria de eletroeletrônicos tenha aproveitado bem a onda positiva nas vendas durante o início da pandemia, o atual cenário parece não contribuir muito para o setor.

E segundo especialistas, as expectativas para os próximos anos ainda são muito incertas. Assim, fatores já citados como a escassez de insumo, a alta inflação, a instabilidade do dólar, o crescimento da inadimplência no mercado e os improváveis desfechos da guerra na Ucrânia ainda preocupam as empresas e seus gestores.

Aliás, para 2023 em diante, se o cenário continuar assim, além da queda nas vendas e no faturamento, especialistas alertam também para riscos de crédito e prejuízos financeiros que podem desestabilizar a saúde financeira dos negócios.


Investimentos na gestão de riscos de crédito aumentam no período

Como de costume em todo o setor que enfrenta cenários turbulentos na economia, a indústria de eletroeletrônicos já apresenta um aumento significativo nos investimentos da gestão de riscos de crédito.

E de fato, esse tipo de estratégia é visto como uma alternativa inteligente para encarar as atuais dificuldades com maior estabilidade financeira e uma visão macro, tanto das oportunidades de mercado, como dos riscos inerentes a ele.

E tal modelo de consultoria atende perfeitamente, desde indústrias e fabricantes de eletroeletrônicos, bem como grandes lojas e redes do varejo.

Se quer saber mais e conhecer esse tipo de solução focada nas atuais dificuldades da indústria de eletroeletrônicos, não deixe de conversar com um dos especialistas da CredRisk e saiba mais sobre a gestão estratégica de riscos de crédito.

 

Sobre a MDS
MDS é um grupo multinacional de corretagem de seguro e resseguro, consultoria de riscos e gestão de benefícios. É líder de mercado em Portugal, está entre os maiores no Brasil e presente também em Angola, Moçambique e Espanha. Mundialmente, a companhia opera por meio da Brokerslink – empresa fundada pelo grupo e que gere uma rede de brokers presente em mais de 120 países, totalizando cerca de 25.000 profissionais de seguros. Em resseguro, a organização atua no Brasil, em Portugal e na África com a marca MDS RE. A RCG - Risk Consulting Group é a empresa referência em análise de riscos, controle de perdas, plano de continuidade de negócios e Enterprise Risk Management. Por meio da HighDome, uma Protected Cell Company (PCC), o grupo oferece soluções alternativas de transferência de riscos ao mercado tradicional de seguros. Por fim, enquanto as recentes aquisições de Process, Tovese e CredRisk reforçam a expertise da empresa no setor de P&C e Garantias, a aquisição total da 838 Soluções e a compra da Ben’s e da QH Consult reiteram o domínio no segmento de Benefícios Corporativos, Gestão Automatizada de Benefícios, Benefícios Flexíveis e Educação. Para mais informações, acesse: https://www.mdsgroup.com - https://credriskseguros.com

 

Deixe um comentário: